- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Indústrias têm 61,2 mil vagas para jovens aprendizes

Mais Lidas

Atibaia recebe R$300.000,00 a pedido da deputada federal Carla Zambelli – Carla Zambelli

A pedido da deputada federal Carla Zambelli, o Ministério da Saúde destinou R$300.000,00 para o município de Atibaia...

Martinópolis recebe R$500.000,00 a pedido da deputada federal Carla Zambelli – Carla Zambelli

A cidade de Martinópolis recebeu, após pedido da deputada federal Carla Zambelli ao Ministério da Saúde, verba no...

Contra o COVID-19, Santa Rita do Passa Quatro recebe R$400.000,00 a pedido da deputada Carla Zambelli – Carla Zambelli

A pedido da deputada federal Carla Zambelli, o ministério da Saúde destinou R$400.000,00 para o município de Santa Rita...

Cerca de 60 mil jovens de 18 a 24 anos têm a oportunidade de entrar no mercado de trabalho com qualificação profissional. Em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), as indústrias oferecem 61.218 vagas de aprendizes em 20 estados e no no Distrito Federal nos primeiros meses de 2021.

O candidato precisa ter entre 14 e 24 anos, estar matriculado a partir do 9º ano do ensino fundamental/Educação de Jovens e Adultos (EJA) ou ter concluído o ensino médio. Os processos seletivos são realizados pelas empresas, podendo ser divulgados na página do Senai. Mais informações podem ser obtidas nas unidades regionais da instituição.

Condições

Os cursos são gratuitos e têm contrato de trabalho de até dois anos com carteira assinada em empresas parceiras do Senai. Com o conhecimento técnico, o candidato tem mais chances de ser efetivado após o fim do contrato.

Somadas as atividades teóricas e práticas, a jornada máxima de trabalho corresponde a seis horas, para quem não concluiu o ensino fundamental, e a oito horas, para quem concluiu o ensino fundamental. A remuneração do aprendiz é calculada com base no salário mínimo/hora e pode ser maior dependendo da área de atuação ou de acordos coletivos.

Indústria 4.0

Além dos cursos tradicionais, o SENAI e a Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Produtividade (Sepec) do Ministério da Economia lançaram, em setembro do ano passado, o Aprendizagem 4.0. O programa-piloto segue as regras da aprendizagem, mas com um formato mais digital e alinhado com as necessidades da indústria 4.0 (indústria adaptada à revolução tecnológica).

O programa especial combina as modalidades de educação a distância (EaD) e presencial em 12 cursos divididos em três áreas tecnológicas: metalmecânica, manufatura avançada e tecnologia da informação. Segundo o Senai, a escolha dessas três áreas para o programa de aprendizagem se deu por serem qualificações consideradas transversais, de alta empregabilidade na indústria.

Ao terminar o período como aprendiz, o jovem poderá aproveitar a carga horária para continuar os estudos no Senai ou seguir carreira técnica ou de nível superior.

Confira a lista dos cursos no Programa 4.0:

Metalmecânica
– Técnico em mecânica
– Programador de manutenção mecânica
– Programador de produção mecânica
– Operador de máquinas e ferramentas convencionais
– Fresador mecânico
– Torneiro mecânico
– Ajustador mecânico

Manufatura avançada
– Técnico em IoT (internet das coisas)
– Técnico em cibersistemas para automação

Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC’s)
– Programador front-end
– Programador back -end
– Programador full stack.

Fonte: Agência Brasil

- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

NÃO PAGUE MAIS ALUGUEL, MORE NO QUE É SEU !!!

APARTAMENTO 2 QUARTOS, SALA, COZINHA AMERICANA, LINDO!!!  ÁGIO NO VALOR DE R$: 14 MIL COM PRESTAÇÕES DE R$: 535,00 VENHA FAZER UMA VISITA, NOSSO NÚMERO...

CPR/COD prende mulher com aproximadamente 100 kg de drogas

Na manhã desta terça-feira, 23/02, a Polícia Militar do Estado de Goiás realizando operação na região metropolitana de Goiânia através do Comando de Operações...

Emater-DF articula ajuda a produtores afetados por chuva – Agência Brasília

Produtora rural mostra danos causados pela chuva a canteiro de hortaliças | Foto: Divulgação/Emater-DFApós as fortes chuvas que fizeram o córrego Riacho Fundo...
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo