Um vendaval e a forte chuva que caiu na tarte desta segunda-feira (27/3) provocaram o desabamento da estrutura do Circo Khronos, localizado na área externa do Shopping Boulevard, no fim da Asa Norte. Um jovem que fazia a limpeza do local foi atingido pelas ferragens e sofreu parada cardiorrespiratória. Os bombeiros fizeram o atendimento no local, mas a vítima não resistiu. A Defesa Civil e a Polícia Civil isolaram a área para perícia.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o jovem Weyne Bispo da Costa, 17 anos, foi atingido por uma barra de ferro. Os procedimentos para reanimá-lo duraram cerca de 40 minutos. O menor teria vindo de Anápolis (GO) para trabalhar no circo e estava em processo de contratação. O espaço ainda não tinha alvará, pois o documento só é liberado quando toda a estrutura já está montada. A Defesa Civil chegou a inspecionar o local nesta segunda, mas não liberou o funcionamento.

O circo ainda não foi inaugurado oficialmente. As apresentações estavam restritas a Organizações não Governamentais (ONGs) e a escolas. Ainda na tarde desta segunda-feira, horas antes do desabamento da estrutura, alunos de uma escola particular chegaram a visitar o local, para uma apresentação artística.

O filho de 6 anos da terapeuta ocupacional Gianna Vasconcelos, foi uma das crianças do grupo e chegou a assistir ao espetáculo Adoletá, conforme estava escrito no bilhete encaminhado aos pais. A outra filha de Gianna, de 4 anos, estava com uma visita ao circo agendada pelo colégio para amanhã. “Quando fui deixar as crianças na escola, eles estavam se organizando para sair. E o meu filho assistiu à apresentação. Ele falou do que viu, falou das músicas”, confirmou. Segundo ela, a instituição ainda não entrou em contato para informar sobre o cancelamento do outro passeio, marcado para esta terça-feira.
No momento do acidente, os artistas se preparavam com ensaios para a abertura oficial, agendada para a próxima sexta-feira (31/3). A estrutura deveria ter ficado pronta na sexta-feira passada (24/3). Abalado, Geraldo Santos, que se identificou como auxiliar de gerência do circo, disse que foi uma fatalidade e que não havia como prever o incidente, pois a estrutura ainda estava em fase de montagem. Segundo ele, tudo aconteceu muito rápido e o vento estava bem forte.
De acordo com a assessoria do shopping, apesar de não ser de responsabilidade do local, os brigadistas e seguranças avaliaram a situação e prestaram os primeiros socorros. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também foi acionado.
A assessoria informou, ainda, que o espaço é alugado para a utilização de eventos e que exige das produtoras a documentação obrigatória emitida pelos órgãos competentes do governo local. As vítimas foram atendidas, inicialmente, pela estrutura de emergência disponibilizada pelo shopping.

Risco de desabamento

Ao todo, serão realizadas três perícias no local. Uma para determinar a causa da morte, outra para o motivo do acidente e a terceira para saber se a estrutura pode ser reutilizada, pois as ferragens estão contorcidas. Médicos que atenderam a vítima suspeitam que a causa da morte tenha sido trauma de pescoço. Segundo o Corpo de Bombeiros, ainda há risco de a estrutura central, que continua erguida, desabar.
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) informou que ventos de até 28km/h foram registrados por volta das 18h na sede da estação, localizada no Sudoeste. Segundo o instituto, é possível que essa instabilidade tenha provocado a formação de nuvens e causado chuvas na Asa Norte.
Fonte:  Correio Braziliense

Comentários

Atenção! Os comentários do Jornal Fogo Cruzado DF são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios podem ser denunciados por outros usuários, acarretando até mesmo a perda da conta do Facebook.
COMPARTIHAR