Medida atende à reivindicação de rodoviários insatisfeitos com frequentes assaltos. Policiais à paisana trabalham dentro dos coletivos
Locais da Cidade Estrutural considerados inseguros pelos rodoviários e interiores de ônibus que circulam pela região administrativa terão o policiamento intensificado a partir de hoje. A medida foi tomada depois que cerca de 200 pessoas interditaram a via nesta manhã.

O comandante do 4° Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel André Luiz Pinheiro Borges, informou que o patrulhamento será aumentado nas Quadras 7 e 8 e no Assentamento Santa Luzia: “As pessoas que fazem o assalto geralmente correm para o assentamento, um local de difícil acesso”.

A Polícia Militar fará ações pontuais para reforçar a segurança, segundo o comandante: “Temos policiais à paisana no interior dos coletivos. Nós abordamos o ônibus e pedimos aos passageiros que desçam para serem revistados. Agora esse trabalho será intensificado”.

A manifestação começou pouco antes das 7 horas e foi organizada por rodoviários que trabalham na região. A polícia foi deslocada para a Estrutural, localizou o responsável pelo bloqueio em 20 minutos e foram iniciadas as negociações. Segundo o comandante, a organização do protesto não teve a presença do sindicato e teria sido feita de última hora.

Bloqueio de viaO ato chegou a interromper o trânsito nos dois sentidos da Via Estrutural por cerca de 40 minutos. “Nós trabalhamos com a orientação de que nenhuma via de responsabilidade do batalhão seja interditada; e não vai ser”, defendeu o tenente-coronel.

Desde março, a Polícia Militar do DF segue a determinação de não permitir o bloqueio arbitrário do trânsito durante atos de protesto. A medida visa a garantir a segurança de manifestantes e permitir a livre circulação de veículos.

O protesto ocorreu sem confronto com a polícia, e o desbloqueio, sem uso da força. A pista foi liberada depois que representantes de rodoviários foram recebidos pelo comandante do 4º batalhão e pelo administrador da Cidade Estrutural, Evanildo da Silva Macedo. Os ônibus voltaram a rodar normalmente.

Conselho comunitárioO comandante André Luiz reforçou a importância da participação popular na solução dos conflitos: “A Estrutural tem um conselho comunitário muito atuante, que nos traz demandas constantemente, mas nas reuniões não temos a participação de nenhum representante dos rodoviários”.

As empresas São José e Piracicabana, em que parte dos funcionários participou do protesto, serão notificadas pela Secretaria de Mobilidade para que sejam apuradas as circunstâncias da manifestação.

Na Estrutural, houve queda de 29% no número de roubos a coletivo. Foram 63 casos registrados em 2014, contra 45 em 2015. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, a diminuição se deve à realização da Operação Coletivo, da PMDF, que faz blitze pelo menos duas vezes por semana em cada uma das regiões do DF. Em cada ação, são abordados 50 ônibus.

Comentários

Atenção! Os comentários do Jornal Fogo Cruzado DF são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios podem ser denunciados por outros usuários, acarretando até mesmo a perda da conta do Facebook.
COMPARTIHAR