O corpo de um jovem foi encontrado enterrado em um terreno no Setor Habitacional Jurebeba, no município de Girassol, em Cocalzinho (GO), na madrugada desta quarta (18). Cristiano de Jesus Lucas, 26 anos, estava desaparecido desde o dia 25 do mês passado. De acordo com informações, ele foi visto pela última vez entrando em um carro suspeito, em Águas Lindas.
O corpo estava dentro de um saco, enterrado a quase dois metros de profundidade no terreno que, segundo informações, pertence a um policial militar da região. Ele foi encontrado com ajuda de cães farejadores e foi preciso a ajuda do Corpo de Bombeiros para retirar o corpo da cova pois, devido ao avançado estado de decomposição, estava muito pesado.
O delegado do Grupo de Investigação de Homicídios da Polícia Civil do Goiás (PCGO) Cléber Martins acredita que o crime seria uma espécie de “queima de arquivo”. O principal suspeito, o policial dono do terreno, estaria envolvido em um esquema de venda de lotes mediante fraude e estaria preso por este motivo. De acordo com Martins, Cristiano fazia parte da associação criminosa servindo como “laranja” para as vendas. Ele teria confessado o crime à polícia e, por este motivo, teria sido assassinado.
Moradores da região dizem que o rapaz fazia parte de uma família tradicional de Águas Lindas. Parentes da vítima negam o envovimento dele com o esquema criminoso. A polícia, no entanto, garante que ele já teria confessado o crime e que a família estava ciente do caso.
Esquema ilegalDe acordo com a Polícia Civil do Goiás, o suspeito pela morte de Cristiano se apropriava de terrenos de pessoas já falecidas e, por meio de procurações fraudulentas, vendia os lotes. O crime já era investigado pela PCGO e o policial já estava preso e respondendo a inquérito pelos crimes.
*Com informações de Eric Zambon

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

Comentários

Atenção! Os comentários do Jornal Fogo Cruzado DF são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios podem ser denunciados por outros usuários, acarretando até mesmo a perda da conta do Facebook.
COMPARTIHAR