Moradores da maior favela do país, em Ceilândia, fizeram barreiras com pneus e caminhões no acesso à invasão. Eles ameaçam atear fogo nos veículos
Moradores de duas regiões do Sol Nascente, em Ceilândia, atearam fogo em pneus e ameaçam fazer o mesmo com caminhões (um do serviço de limpeza urbana), caso 400 famílias assentadas sejam retiradas, conforme prevê operação iniciada na manhã desta quarta-feira (4/2). A localidade é a maior favela do Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).Na manhã desta quarta-feira, a Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis), com apoio da Polícia Militar, promove reintegração de posse no local, próximo à Feira do Produtor. Devido à quantidade de ocupantes e aos ânimos acirrados, a PM enviou a tropa de choque.

Quinze carros da Patrulha Tático Móvel (Patamo) e do Choque, além de 300 policiais militares, foram deslocadas para a região. O Corpo de Bombeiros também foi acionado.

A retirada das edificações ocorre ao longo de 10 dias. Nesta quarta-feira, a reintegração de posse acontecerá em apenas uma das áreas. Quatro barracos já foi derrubado.  A tensão é grande neste momento. Os manifestantes gritam “Queremos moradia”. Uma pessoa passou mal e foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros.

Obras

De acordo com o GDF,  a operação tem como objetivo recuperar, drenar e pavimentar a região do Sol Nascente. Para isso, é necessária a desocupação de duas áreas no trecho 1, onde há barracos e casas de alvenaria.

As construções foram edificadas em Área de Preservação Permanente (APP) e em ponto destinado à construção da bacia de drenagem de água pluvial da região. O GDF informou que irá inscrever as famílias retiradas no programa Morar Bem.

             

Ainda segundo o Executivo, a operação é necessária para garantir o repasse da Caixa Econômica Federal (CEF) no valor de R$ 41,5 milhões para drenagem e pavimentação do Sol Nascente. 

Comentários

Atenção! Os comentários do Jornal Fogo Cruzado DF são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios podem ser denunciados por outros usuários, acarretando até mesmo a perda da conta do Facebook.