A menina  foi raptada na saída da escola e estuprada no Jardim Roriz, em Planaltina. O crime aconteceu na tarde de segunda-feira (29/5). De acordo com a adolescente, os três criminosos usaram uma faca, a colocaram em um carro e a levaram para uma casa, na Quadra 6. Lá, ela foi violentada por um deles. O homem foi preso pela Polícia Militar.

 

Os três deixaram a jovem na Quadra 1 e ela foi encontrada por um familiar. A garota disse aos policiais que conhecia o rapaz que estava dirigindo o veículo e que ele a tinha violentado. A equipe foi até a casa do suspeito, mas não o encontrou. Com isso, os agentes começaram as buscas pelo veículo, que foi localizado. O homem foi preso e conduzido à 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina), onde foi reconhecido pela vítima.  

 

Aumento da violência

Dados divulgados no início do mês pela Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social mostram que os casos de estupro aumentaram 24,6% entre o primeiro quadrimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado.

 

De janeiro a abril deste ano, do total de 274 vítimas de estupro no Distrito Federal, 158 são crianças e adolescentes — isso corresponde a 58% dos casos e à média de mais de um ataque sexual por dia. No mesmo período do ano passado, 232 pessoas sofreram a violência. Dessas, 149 tinham até 17 anos, o equivalente a 64%.

 

Em 15 de maio, um outro caso de violência sexual cometido contra uma criança abalou o Distrito Federal. Uma menina de 11 anos foi estuprada pelo ex-padrasto dentro de casa, no Gama. Ele arrombou uma janela e violentou a criança com requintes de crueldade. A todo momento a menina segurava o irmão de dois anos no colo, na tentativa protegê-lo.

 

A mãe acredita que o abuso sexual cometido contra a menina foi uma represália do ex-companheiro, que não aceitava o fim do relacionamento entre os dois. “A todo momento que ele cometia esses abusos, ele falava a mesma coisa: ‘É para se vingar da sua mãe, que não me quis’. Ele conseguiu, porque não tenho mais vida. Ele me matou. Não sei mais o que vai ser de mim”, desabafou a mãe. O acusado foi preso um dia depois de cometer o crime.

Fonte: Correio

Comentários

Atenção! Os comentários do Jornal Fogo Cruzado DF são via Facebook, lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor, comentários impróprios podem ser denunciados por outros usuários, acarretando até mesmo a perda da conta do Facebook.
COMPARTIHAR